glow lamp

5 pontos descomplicados do Calvinismo – Cap. 2 – Depravação Total, Ponto 1.

O primeiro ponto do calvinismo é a Totality Depravation, ou a doutrina da depravação total, onde é demonstrado que o homem é um ser totalmente depravado e carente/cativo da vontade divina para que ele venha a fazer bondades ou até mesmo para que busque a Deus ou busque o bem.

A Bíblia deixa essa questão da depravação bem clara em dois capítulos importantíssimos que são: Romanos 1:26 que onde Paulo relata que “Deus entregou os homens (a humanidade) as suas paixões infames” porque esses mesmos homens não conseguem “adorar a Deus” e que transferiram a glória, que era para ser dada a Deus, a ídolos segundo a sua “própria vontade”, e Paulo justifica que o homem só faz esse tipo de coisa por um motivo que é a depravação total, ele diz em Romanos 3:23 que “(Em adão 1co 15:22) TODOS PECARAM e forma destituídos da glória de Deus”. O pecado de Adão ou o pecado original tornou o homem um ser “morto” espiritualmente, logo depravado e inclinado ao mal por natureza.

Imagem relacionada

Entenda que Deus manteve no Éden a pureza do homem e através do pecado o homem perde essa pureza, eu até aceito que o homem puro teve um “arbítrio” condicionado por Deus, pois Deus claramente lhe dá “opções” de escolha, mas ele só podia escolher os caminhos que Deus o oferece, e então através do pecado veio à queda do homem e consequentemente a morte espiritual e a perda da “agência” condicionada do homem, se há um momento bíblico de arbítrio livre foi no Éden, depois disso “todos morreram”, “todos estrão mortos”, “todos nascem mortos” e estão impossibilitados naturalmente de fazer o bem ou até de buscar a Deus.

Esse é o ponto do calvinismo onde a doutrina bíblica põe o homem no seu devido lugar, que é o lugar de pecador, o lugar de um ser nojento, asqueroso e inclinado ao mal. Veja:

Como está escrito: Não há nenhum justo, nem sequer um, não há quem entenda, não há quem busque a Deus; Todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; Não há quem faça o bem, não há nem sequer um. A garganta deles é um sepulcro aberto, Com as suas línguas usam de dolo, Veneno de áspides está debaixo dos seus lábios, A sua boca está cheia de maldição e de amargura; Os seus pés são velozes para derramar sangue, Há destruição e miséria nos seus caminhos, Não têm conhecido o caminho da paz. Não há temor de Deus diante de seus olhos. – Romanos 3:10-18.

Ou seja, se não há nenhum justo abaixo do céu, logo Paulo descreve a natureza humana baseada nos pecados que essa mesma humanidade comete diariamente. Paulo traz a tona o que a natureza humana é. Você lembra quando Deus olha para o mundo procurando a genitora de Cristo, e lógico que Ele já sabia e já havia escolhido Maria, mas usa da simbologia para explicar que “não havia um justo sequer abaixo do céu”, quando Cristo diz que veio para seu povo e esses o rejeitaram, Ele deixa claro que em Israel as pessoas já haviam sido tomadas pela injustiça e se fizeram “tolos” se passando por sábios, sendo apenas meros religiosos comerciantes de uma graça que no meio deles era inexistente, pois nem sequer reconheceram o filho de Deus.

Resultado de imagem para depravação total

Então, o homem, através de Adão, desviou-se totalmente da vontade de Deus e se tornou um ser, que a Bíblia deixa claro, que pela vontade própria a tendência dele em 100% dos casos é se inclinar ao pecado, se realmente houvesse livre arbítrio, o homem mesmo que visse Deus em sua frente escolheria o pecado porque lhe é mais conveniente e espiritualmente natural, e se é uma condição e é natural que a gente faça mal, logo nem para o erro há livre arbítrio.

A condição humana de depravação é tão latente que Paulo deixa isso mais claro em Efésios 2 E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados,

Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência; Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também. Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, Estando nós ainda mortos em nossos pecados, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos) Efésios 2:1-5.

Paulo é claro em sua carta aos efésios. Ele diz que antes deles serem salvos por Cristo, andavam segundo o curso desse mundo *TENDÊNCIA NATURAL AO MAL* – O mundo jaz do maligno e tudo que jaz do mundo é mal. Operava neles apenas a “desobediência”, todos andavam pelos desejos da carne e a Bíblia é clara ao dizer que quem anda pela carne não pode andar pelo espírito e quem anda pela carne é inimigo de Deus e ele completa “Fazendo a vontade da carne” – e éramos por NATUREZA filhos da Ira. A Bíblia é bem clara em João 3:36 ao dizer que quem não crê em Cristo a ira de Deus (O ódio, o furor, a raiva) permanece sobre ele. Paulo completa dizendo que NOS VIVIFICOU JUNTAMENTE COM CRISTO, ou seja, através de Cristo, DEUS optou em vivificar o homem, não pela vontade natural do homem que é o pecado, e sim porque Deus usou de misericórdia com a humanidade!

Logo, um ser humano que está morto e naturalmente inclinado ao mal é retratado como total depravado e não tem liberdade de escolha e se tivesse escolheria o mal porque lhe é uma condição natural e isso não é uma palavra “calvinista” isso é a própria Bíblia dizendo que o homem é mal, sem fé por condição natural NÃO TEM PODER NENHUM para buscar a Deus, pois está cativo pela vontade da sua própria carne.

Resultado de imagem para caminhando para o abismo

Os arminianos na época de Dort argumentaram que o homem não é totalmente depravado e sim parcialmente, devido ao fato de que mesmo mal, o homem conseguia realizar boas obras. Isso é uma faca de dois gumes. Nada que você faça vai “levar” por você mesmo a uma salvação. A Bíblia é clara quando diz que a obra sem fé é morta e o contrário, da mesma maneira e se o homem natural faz o bem é sem fé, e sem fé é IMPOSSÍVEL agradar a Deus, logo nada de bom que o homem faça virá a “salvá-lo”.

Eu particularmente consigo acreditar em uma graça universal que torna esse mundo um lugar “suportável” de viver e que através dessa intervenção divina na moral humana, Deus selou em nossa consciência “leis” que nos fazem separar o certo do errado “Esta é a aliança que farei com a casa de Israel, passados aqueles dias”, garante o Senhor. “Gravarei as minhas leis na sua mente e as escreverei em seu coração. Eu lhes serei Deus, e eles serão o meu povo” Hebreus 8:10 e “Vós mesmos tendes demonstrado que sois uma carta de Cristo, resultante de nosso ministério, escrita não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de corações humanos!” II Corintios 3:3.

E isso é perceptível em: O que é errado aqui é errado em qualquer lugar do mundo, roubar é errado no Japão, como é errado na Síria, como é errado na Índia, como é errado no Canadá. Isso se chama “Graça universal”. Deus colocando em nossos corações e mentes humanas suas regras e dando a eles uma forma de conviverem de modo suportável na terra, dando-lhes regras a serem seguidas e pelo descumprimento dessas regras é que esses mesmos homens serão julgados.

Portanto o homem é sim depravado e está dependendo o tempo todo da graça de Deus seja a graça universal ou a graça salvífica para “viver” fisicamente.

Autor: Paulo Ricardo Lima – Pregador, Palestrante DESMOTIVACIONAL, teólogo de Boteco.