2w2xp9zzyrjkaqb8uv1om4jno

Os 5 Pontos descomplicados do Calvinismo – Cap 2.1 – Porque as pessoas não aceitam a eleição incondicional?

As mesmas pessoas que questionam a eleição incondicional – pelo fato delas terem alguma dificuldade em crer que Deus não seria bom ou algo do tipo – aceitam tranquilamente o fato de que no meio de tantos vivendo num “caos” na Mesopotâmia, num lugar chamado Ur dos Caldeus, Abraão foi escolhido e o povo de Israel junto com ele, ou seja, as pessoas aceitam tranquilamente o fato de Deus, no passado, ter elegido um povo para ser Seu e agora, no presente, essas pessoas não aceitam que o povo gentio tenha sido escolhido por Deus.

Resultado de imagem para abraão

O que me deixa mais impressionado é ver que Deus não era mau por ter escolhido um povo no passado, mas Ele é mau por escolher um povo agora no presente? O mais surpreendente é: Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; Efésios 1:4

Perceba a eleição divina aconteceu ANTES de o mundo ser feito, logo, a salvação dos gentios não era o plano B de Deus e sim o plano A, muito pior, você acha que o sacrífico de Jesus não foi algo premeditado por Deus? E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação. E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo. – Apocalipse 13:7-8 – Antes de o mundo ser mundo o Plano de Deus já estava traçado, os eleitos já estavam escolhidos, e a morte de Cristo já era um fato!

Antes de o mundo ser mundo, já existia a “lista” dos eleitos, é simples de entender, o problema desse assunto chama-se orgulho e há uma frase de George Whitefield que é assim: “O homem orgulhoso não se dispõe a mudar de opinião, mesmo que a verdade lhe seja esfregada na cara”. Sendo assim, quem não aceita ou não concorda com as doutrinas da graça, normalmente, são pessoas orgulhosas que simplesmente não aceitam a verdade da Bíblia. Outro grande problema é que as pessoas criam para si um Deus baseado nas suas experiências, anseios e vontades que é totalmente diferente do Deus que a Bíblia descreve, pelo simples fato de que elas são pessoas contraditórias e muitas vezes preguiçosas para ver até um iceberg que esteja na sua frente.

A eleição levanta, até hoje, grandes dúvidas porque parece que nunca foi bem explicada ou nunca foi bem aprendida. As pessoas sempre se perguntam: Como saber se sou eleito? Se você é um cara que crê em Deus, pratica o bem, se arrepende dos seus pecados, se você se preocupa com sua salvação, então pra mim você é eleito. O eleito é aquele que colhe os frutos do Espírito Santo, mesmo que gradualmente, é aquele que está em todo tempo querendo aprender mais de seu Criador, é aquele que mesmo passando a ferro e fogo, mantem a sua fé que supera tudo. Esse é eleito, até porque o não eleito não tem NENHUMA preocupação com sua eleição, nem com salvação, e mesmo que ele pratique boas obras, não significa que ele é eleito.

O eleito é eleito para viver uma vida de graça e retidão segundo o evangelho nos mostra, mas aí vem outra dúvida, “E os desviados?” Jesus responde isso de modo prático na parábola do filho pródigo, observe. O filho pródigo estava em casa, tranquilo e sossegado, um belo dia ele inventa de pegar a herança dele e ir para o mundo, ok, beleza, ele vai lá gasto todo o dinheiro dele com prostitutas, é roubado, acontece todo tipo de desgraça imaginável e inimaginável com ele, chegando até a ir comer com os porcos e aí magicamente lhe surge a brilhante ideia de voltar para casa do pai. Ele vai lá, morrendo de fome, ARREPENDIDO, e o pai o recebe dizendo “Trazei depressa a melhor roupa; e vesti-lhe, Coloquem um anel na mão, e alparcas nos pés; E trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos, e alegremo-nos; Porque este meu filho estava morto, e reviveu, tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a alegrar-se”. – Lucas 15:22-24. Percebe a intenção de Cristo?

O filho pródigo, era filho, se afastou sendo filho, pecou sendo filho, se arrependeu sendo filho, e o pai disse “Meu filho eu estava morto reviveu”. É difícil de entender que a eleição é incondicional pelo fato de você não merecer ser um eleito? Porque a sua vida vai passar por altos e baixos que você chegará a comer com porcos, se duvidar, e mesmo assim Deus vai tratar o Seu eleito como filho d’Ele!

Resultado de imagem para filho pródigo

Aí a dúvida que resta é Deus é mau por eleger as pessoas? NÃO, Ele tá sendo bom até demais em ter elegido algumas pessoas! Imagina que todas as pessoas incapacitadas de escutá-Lo, incapacitadas de busca- Lo, mortas espiritualmente, morto não anda, morto não fala, morto não faz nada. Nós estávamos mortos em nossos delitos e pecados, Deus vai lá e elege alguns para a salvação e Ele é mau? Não Ele é até bom demais PORQUE TODOS PECARAM e TODOS foram destituídos da glória de Deus.

Vou dar um exemplo mais claro, imagina a humanidade toda caminhando para um buraco negro sem fim (essa é atual condição humana), Deus sendo um pai amoroso vai lá e pega, à força, algumas pessoas, sem que essa seja a vontade delas, mesmo elas merecendo caírem no buraco, Ele as salva do buraco. Deus é mau por isso? Ou Ele usou de seu livre arbítrio, por ser O único que tem essa dádiva, usou de misericórdia com quem quis? Ele apenas cumpriu a palavra Dele mesmo em Romanos 9, Ele usa de misericórdia com quem quer e a quem não quer Ele endurece. Da mesma maneira que Ele amou a Jacó e odiou a Esaú é assim que Ele faz com toda humanidade.

A gente tem uma concepção de que toda a humanidade tem que ser salva. TÁ ERRADO! O ser humano tem que ser condenado aos piores castigos do mundo porque a humanidade é a pior praga que existe. Você acha mesmo que Deus usando de misericórdia com alguns Ele é mau? De maneira nenhuma! Tire essa ideia de sua cabeça.

Se os eleitos já estão eleitos porque evangelizar? Pelo fato deles serem eleitos. Não haveria sentido em sair por ai oferecendo fé e salvação se todos tivessem realmente liberdade de escolha para ser salvos. Observe, se o homem é incapaz de buscar a Deus, se ele tá morto e não consegue crer, qual seria o sentido em evangelizar alguém que naturalmente prefere o pecado a Deus? Não há sentido. Há sentido quando temos a ideia de que: O homem é salvo pela graça, mediante a fé. Ok? A fé é um dom dado por Deus e como se obtém fé? Mediante a pregação do evangelho. Então o eleito, já eleito, só vai saber que é eleito se você pregar para ele, é como um interruptor! A sua pregação é o interruptor da fé para o eleito. A salvação do eleito se resume a duas frases “Vinde a mim os cansados e oprimidos e Eu os aliviarei” e “Ninguém pode vir a mim se o pai que me enviou não o trouxer, e Eu o ressuscitarei” – Ou seja, o doente só vai ao hospital quando quer a cura. Se Cristo ressuscita quem está morto, o morto só vai a Cristo porque DEUS quer que o morto vá, até porque o morto não tem poder nem de querer.

Autor: Paulo Ricardo Lima – Pregador, palestrante DESMOTIVACIONAL, teólogo de boteco.