2w2xp9zzyrjkaqb8uv1om4jno

“Exclusivismo Divino” – 5 pontos descomplicados do Calvinismo

Então se Deus é um cara exclusivista que não amou a todos como explicar os versículos que Ele manda as pessoas amarem umas as outras de modo indiscriminado? E para ir mais a fundo, como explicar aquele versículo “E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas” – Atos 10:34.

Então se Deus é esse cara que vive segregando seu amor, segregando sua eleição, como Ele pode mandar para que nós não façamos acepção de pessoas? Se Deus é amor, como ele pode odiar alguém e ter o ódio de alguém?

Essas perguntas são facilmente resolvidas quando a gente observa Deus sob o ponto de vista BÍBLICO, então esqueça seu ponto de vista humano e social. Não cabe você analisar Deus como um homem e sim cabe analisar Deus como Deus.

Deus é a manifestação do amor, Ele é o amor e justamente pelo fato d’Ele ser o amor é que Ele tem o direito e o dever de odiar aqueles que não agem com amor. Ele é injusto por isso? De maneira alguma, Paulo Washer diz uma frase bem interessante sobre o amor: “O amor suporta tudo, mas o amor não aceita tudo, pois se aceitasse não era amor e sim omissão”.

Temos que observar Deus como o único ser no universo que tem passe livre para fazer o que bem entender e o que Ele fizer ou deixar de fazer não pode ser julgado como mau ou bom. Até porque Ele é um ser de natureza amorosa e justa, portanto o fato d’Ele ter um instinto exclusivista não nos dá o direito de ser assim.

Porque então Ele nos diz para amar a todos, amar até nossos inimigos e não fazer acepção de pessoas? Simples: O homem é mau por natureza. O homem é egocêntrico, seletivista e adora separar a humanidade por cor, raça, religião, nacionalidade, ou seja, nós somos separatistas desde quando o mundo é mundo. Até a igreja, seja ela do passado, da reforma ou da atualidade (e muito pior na atualidade) odeia se unir. Fora que só quem sabe quem são os eleitos é Deus e Ele tem o direito de amar e odiar quem Ele bem entender porque Ele é livre e nós somos apenas obedientes passivos nas mãos de um Deus irado.

Se a gente soubesse quem eram os eleitos certamente trataríamos os “ímpios” com todo mal possível, imagina ter em cima da cabeça de cada pessoa um sinal de que aquela pessoa é ou não salva por Deus? Imaginou o caos? Eu imaginei um mundo infernal governado apenas pelos não salvos, até porque o salvo pratica o bem, já o não salvo só busca o mal natural e só faz o bem por causa da graça universal e ainda assim é um bem falho.

Se nós soubéssemos quem são os salvos e quem não são, separaríamos a humanidade, seríamos seres ainda mais divididos, genocídios, muito pior que a união soviética, pior que o nazismo, pior que a China comunista, nada iria se igualar a perseguição que seria caso as pessoas soubessem que é eleito e quem não é. É por isso Jesus nos manda julgar as pessoas com reto juízo e Pedro diz para não fazermos acepção de pessoas.

Os eleitos são pessoas das mais variadas nações, raças e línguas, e só quem sabe onde cada um está é Deus, pois Ele sonda os corações, sabe de tudo, vê tudo e Deus a nós uma consciência da prática do amor e o amor é a maior mensagem do evangelho. Ele ama tanto a humanidade que até com os não salvos Ele teve um pouco de misericórdia ao mandar os evangelistas e missionários pregarem a todo mundo de modo indiscriminado e ainda fazer o bem a quem quer que seja.

A mensagem de Cristo é fazer o bem, ser pacífico, ser justo, ser reto, amar o próximo, não praticar o erro e nem o mal, colher os frutos do Espírito Santo. Para você ter noção de como a graça comum é eficaz: A ciência medicinal é um avanço praticado pelo cristianismo com a invenção dos hospitais e dos métodos científicos e químicos para fazer medicamentos para cada doença. A maioria dos avanços da medicina veio com o surgimento da igreja, e isso é uma das provas de que a misericórdia de Deus é presente na humanidade ao longo dos séculos.

Portanto, Deus tem todos os motivos do mundo para odiar a humanidade, porém, em vários aspectos Ele preferiu amar, os quais pela graça Ele selecionou e reservou para si e deu Jesus como prova desse amor. Ele deu ao homem inteligência, deu a ciência e a possibilidade de mesmo o homem mal fazer o bem.

Você ainda acha que Ele é mau por ser exclusivista? Eu acredito que não.

-Paulo Ricardo Lima – pregador, palestrante DESMOTIVACIONAL, teólogo de boteco.