Livre-Arbítrio uma Farsa! (Gnosticismo)

Uma das crenças bem conhecidas é o Gnosticismo, que vem do grego “Gnostikus”, fazendo parte da corrente religiosa do sincretismo grego, o gnosticismo é de bem antes de Cristo, há rumores de que os persas tinham convicções gnósticas, e durante a “era da igreja primitiva” os apóstolos já combatiam as heresias do gnosticismo. O gnosticismo acredita na existência de dois deuses um bom e um mau para justificar a bondade e maldade da humanidade.

O termo gnosticismo foi citado pela primeira vez pelo filósofo Irineu, durante período helenístico. A origem da palavra é derivada de “Gnose”, que quer dizer “conhecimento, ciência, conhecimento esotérico, conhecimento de misticismo e sincretismo”.

Resultado de imagem para filosofo grego irineu

Irineu de Lyon 130 d.C. – 202 d. C.

O gnosticismo acredita que o Undo teria sido criado pelo deus mau conhecido como “demiurgo”, que seria o Deus da Bíblia, um deus sádico que a sua existência justificaria as tragédias narradas nas escrituras, pois para o gnosticismo o mau não é do ser humano e sim uma atitude sádica de um deus mau. O gnosticismo acredita também que as almas humanas viviam num lugar de paz e harmonia e logo depois uma revolta as almas foram presas nos corpos humanos como punição pelo deus demiurgo.

Resultado de imagem para demiurgo

Demiurgo também é conhecido como o “arquiteto do universo”, o “genitor da criação”.

Os gnósticos eram iniciados ao gnosticismo sendo passados para eles o conhecimento da vida e da morte, e todo conhecimento esotérico, que para eles, ter esse conhecimento era essencial para a salvação.

Essa crença foi combatida pelo Apóstolo Paulo, devido ao fato de conter todas as heresias citadas acima, e também pelo fato do gnosticismo achar que tudo que era criado pelo “deus mau” deveria ser desprezado, como por exemplo o casamento, a formação da família, a heterossexualidade como base de sustentação da moral, os costumes que temos como bons e etc.

Na questão do livre arbítrio o gnosticismo tem como base a ideia do “fazer” para ser salvo e obter a gnose, o conhecimento de tudo para então alcançar a salvação tida como a liberdade da alma.

Segundo a Revista de Estudos da Religião março / 2008 / pp. 119-141 de Marilia Fiorilo – Pag 122:

“Homem veio o livre-arbítrio, e com isso o mundo ficou à mercê dos inevitáveis som e fúria das sandices humanas. O mais melancólico, talvez, é que o projeto divino inicialmente imaginado se perderá no esquecimento do tempo, o mesmo tempo que havia corroído e corrompido sua integridade”.

O Livre-arbítrio do Gnosticismo se resume ao ego do próprio ser humano em, segundo a Gnose, obter o conhecimento e decidir por Deus o que fazer, no entanto, no cenário gnóstico existem 2 deuses, dos quais, um daria a liberdade para o mal e o outro daria a liberdade para o bem, sem interferir em ambos.

Na maioria dos artigos só se fala sobre o Demiurgo, pouco se sabe sobre o deus opositor e pouco se fala da liberdade humana no gnosticismo. Eu garanto que você já deve ter ouvido falar de pessoas “Agnósticas” ou que não acreditam no agnosticismo, em tese, é um ateísmo light, mas que na maioria das vezes os tais agnósticos nem sabem o que é aquilo que dizem se opor.

Dentro do Evangelicalismo é possível perceber uma pitada de gnosticismo quando ouvimos falar sobre culpabilizar o diabo por atitudes humanas e uma possível briga do diabo com Deus e do homem contra o diabo, se você pega meia dúzia de versículos mal interpretados e fora de contexto, é tranquilamente possível defender uma batalha espiritual e chamar isso de “teologia”, sendo que na verdade é uma filosofia suja e baseada no paganismo.

O Gnosticismo é uma filosofia oportunista, sem base e deve ser rejeitada.

-Paulo Ricardo Lima – Palestrante DESMOTIVACIONAL e Teólogo de Boteco.

Paulo Ricardo Lima – Feira de Santana/ BA

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To use BrandCaptcha you must get an API Key