Tudo que te contaram sobre Lúcifer é mentira (Parte 2)

 

Depois de uma enxurrada de críticas infundadas e de gente que não passou da 5ª linha do texto sobre “Lúcifer”, decidi fazer mais algumas retificações e esclarecimentos sobre alguns versículos que foram comentados nas postagens no facebook, é de certo que, devido ao grave aumento da “idiotização” dos brasileiros, as pessoas não leem, não analisam e não sabem interpretar ou entender aquilo que leram, então temos que agir como professores de crianças para dar “a papinha” do conhecimento para as pessoas, pois parece que a maioria delas só usa o celular e a internet para acessar as redes sociais e digitar “amém” e “não julgueis”.

Tudo que te contaram sobre Lúcifer é mentira.

No texto anterior eu deixei claro que a Bíblia não fala ABSOLUTAMENTE NADA sobre Lúcifer, o tal “portador da luz”. No texto deixo claro que esse nome é uma invenção cultural romana e nada tem a ver com texto contido nas escrituras.  O termo “lúcifer” é latino, ou seja, vem do latim, a palavra que encontramos na Bíblia é “Helel-Bem-Sharár”, que é Estrela da Alva, assim era conhecido um Rei babilônio que queria conquistar o norte do Líbano e tinha pretensões de ser Deus – ou maior que Ele-. Esse rei tinha a intenção de tomar o ponto mais alto que eram as montanhas do norte, e com isso Deus o fez cair de um penhasco, ou como descrito em Isaías 14, ele desceu a sepultura (seol), e com isso ficou conhecido como Estrela Caída. Ou seja, o texto não exprime absolutamente nada sobre o diabo ou satanás, e sim sobre “Lúcifer” que nem sequer existe.

nardoni-01a

Falaram muito sobre Ezequiel 28, onde a narrativa fala de um “novo líder” que queria tomar as terras do norte do Líbano, agora o Príncipe de Tiro, era a pessoa escolhida por Deus, que anteriormente era pura de coração; e que depois se tornou orgulhoso e soberbo, passando a atribuir seu conhecimento e seu reino a si mesmo. Com o tempo ele queria ser para a sociedade como um Deus, alguém que tinha a posse das terras férteis do norte do Líbano, a área da Fenícia que era conhecida como Crescente fértil, isso você estuda na quinta série.

crescente-fertil

Naquela época, quem tinha exército, pedras preciosas, boa expansão territorial e principalmente terra fértil para o plantio e colheita era rico, próspero e tinha um reino duradouro. Geralmente líderes de áreas como essas, eram considerados deuses, por terem no meio do deserto a fertilidade e as coisas que eu citei anteriormente, o maior exemplo disso era Ramsés II, o irmão de Moisés, que era considerado Deus por ter: Escravos, exército, terras, pedras preciosas e área de plantio com boa fertilidade, e isso no meio do deserto.

“Em manuscritos antigos e até na Bíblia, o Líbano já aparece com o nome de paraíso terrestre por causa de suas imensas florestas de cedros, carvalhos, pinheiros e outras árvores de essências aromáticas”.  – Trecho retirado do site http://www.icarabe.org/noticias/libano-uma-joia-do-oriente

A Bíblia traz algumas parábolas, dentre elas uma que fala sobre esse Príncipe de Tiro. Precisamos entender uma coisa, as parábolas são histórias que não tem a obrigatoriedade de serem reais, então quando a Bíblia faz comparações que se NÃO observadas cuidadosamente geram doutrinas pseudoteológicas. O texto NÃO FALA de um anjo caído que esteve no éden, fazendo alusão a serpente de Gênesis 3 veja:

ACOMPANHE A BAIXO COM A SUA BÍBLIA EM EZEQUIEL 28

  • Éden é referido em: Estavas no Éden, jardim de Deus. Observe “monte de Deus” nos versículos 14, 16. Éden deriva-se do acadiano edinu, “planície”, um lugar que comporta irrigação e fertilidade. (Lembre-se, a bíblia em Português não é confiável e é mal traduzida devido ao fato de NÃO CONTER os mesmos termos do Hebraico e do Grego).
  • Vs 14. Tu eras querubim da guarda ungido, e te estabeleci. O T.M. diz Tu (át) eras um querubim. Leia-se com a LXX e a Siríaca: Com (‘et) um querubim. O T.M. diz: ungido (ou “de expansão”; hapax legomenon) que cobre (que faz sombra) e eu te dei (coloquei). Ou seja, sabemos bem sabe que “ungido” no velho testamento está ligado ao termo “escolhido” por Deus, então esse Príncipe foi comparado a um anjo, pois antes de virar alguém soberbo, ele era puro de coração e não atribuía sua força e coragem a si mesmo. No vs 15 Perfeito eras (tamîm, “em boa condição, inigualável, inocente”)… até que se achou iniquidade (‘awlaltâ, para o mais costumeiro ‘awel) em ti. Não há nenhuma referência ao querubim aqui, pois a Bíblia não fala da queda de algum querubim
  • Na multiplicação do teu comércio. A primeira parte do versículo é provavelmente uma glosa do versículo 5; 26:12; 27:12, 18. (Ele queria uma expansão territorial para fins COMERCIAIS, ou seja, terra fértil e etc.).

Apresentação1 (2)

  • 18, 19. Profanaste os teus santuários. O profeta prediz a ruína da própria ilha de Tiro. O rei profanou os templos que fadam de Tiro uma ilha santa, provocando a sua destruição por causa do seu próprio pecado. Ele ficou abaixo do padrão da verdade que a sua religião preservou para ele.

RECOMENDO A LEITURA COM ATENÇÃO DO SITE  “BIBLIOTECA BÍBLICA”.

 https://bibliotecabiblica.blogspot.com/2014/10/interpretacao-de-ezequiel-28.html

É possível VER que não há nenhuma relação com “satanás” ou Lúcifer, ou o diabo, a assertiva é uma RATIFICAÇÃO ou algo semelhante a Isaías 14, “um novo rei” que queria ser maior do que Deus, e era orgulhoso, e queria não tomar o céu, e sim as montanhas do NORTE DO LÍBANO, que era um lugar próspero e que tinham jazidas de pedras preciosas! Por isso o interesse de tantos reis naquele lugar, e até hoje com a descoberta do petróleo, é uma área riquíssima, porém assolada por guerras e interesses.

http://www.gazetadebeirute.com/2013/10/nova-descoberta-de-petroleo-no-libano.html

https://resistir.info/chossudovsky/pipeline_btc.html

cats.jpg

Níveis de EXPORTAÇÃO DO LÍBANO EM PEDRAS PRECIOSAS

http://www.investexportbrasil.gov.br/sites/default/files/publicacoes/indicadoresEconomicos/INDLibano.pdf

http://trade.nosis.com/pt/Comex/Importacao-Exportacao/Libano/perolas-naturais-ou-cultivadas-pedras-preciosas-ou-semipreciosas-e-semelhantes-metais-preciosos-meta/LB/71

Então essa ideia ridícula que Lúcifer é descrito em Ezequiel ou em Isaías é devido à falta de vergonha da tradução da Bíblia a uma língua NÃO CONFIÁVEL que é o português. O problema está no uso de termos que, quando verificamos sua originalidade, NADA tem a ver com o que realmente o autor quis dizer.

Quero deixar claro que tanto esse texto quanto o outro NÃO ESTÃO relacionados a Satanás e sim a Lúcifer, sua origem, função e etc. Eu entendo que existe uma confusão TERRÍVEL, porém estamos aqui prontos para desfazer essas confusões.

Faremos um Editorial sobre o Diabo, e aí sim, deixaremos claro sua origem, função, e por fim para deixar bem claro que LÚCIFER NÃO ESTÁ NA BÍBLIA E NÃO EXISTE!!!

 

Autor: Paulo Ricardo Lima – Pregador, Palestrante DESMOTIVACIONAL, teólogo de Boteco.

Paulo Ricardo Lima – Feira de Santana/ BA

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To use BrandCaptcha you must get an API Key