Tudo que você aprendeu sobre batismo é mentira.

 

 

A palavra batismo em grego “βάπτισμα ou βαπτίζειν” significa mergulho, lavar, jogar água, dar banho, imergir, submergir (e alguns dizem que também aspergir). Em outro sentido, é fazer com que alguém tenha contato com água pra ter nessa experiência uma redenção dos próprios pecados.

 

O Batismo, em sua história REAL é uma marca de João Batista que “adquiriu” o hábito de praticar o batismo, segundo Werner George Kümme o batismo Joanino tem origem na prática de um povo separatista judaico que morava na região de “Qunran” que praticava o “banho” de iniciação ao gentio que queria ser judeu, e com isso tomou-se a prática de fazer os homens confessarem seus pecados e serem “lavados” dos mesmos, tornando-se assim um sacramento separatista entre os judeus. Todos sabem que, no Antigo Testamento, para redimir alguém dos pecados era necessário que o Sacerdote fizesse a expiação ou o sacrifício de animais.

No novo testamento, João faz uma abordagem mais prática com o batismo já habituado entre as pessoas para fazer a redenção dos pecados. Lógico que mesmo contrariando as regras judaicas, João segundo a Bíblia, não tem sua prática condenada e é tida como agradável aos olhos de Deus, tanto que ele foi escolhido para finalizar o período de silêncio de 400 anos de Deus, entre o penúltimo profeta que foi Malaquias e o último que é João.

João deixa claro que ele seria o último, e que também faria esse procedimento, pois viria um após ele que não batizaria mais com água e sim com o Espírito Santo (Mateus 3:9-12). Cristo vem para separar o velho do novo, a lei do Espírito, as práticas que não faziam sentido para novas práticas e até refazer a lei, cumprindo e anulando-a.

O problema é que a religião tenta, o tempo todo, costurar o véu que Jesus já rasgou com dogmas e procedimentos que não têm mais porque serem feitos, usar água para batismo, não têm lógica e vou mostrar.

Jesus veio para salvar o homem e também para dar um “upgrade” nos procedimentos que iriam ser realizados. Antigamente o templo era físico, hoje o templo somos nós. Antes o sacrifício era matar cordeiros, hoje o sacrifício é Cristo. Antes eram tábuas de pedra e a lei, hoje são tábuas de carne e o Espírito Santo que regem as nossas atitudes. Antes fazíamos tudo que era da carne, agora andamos pelo espírito, pelo simples motivo de que TUDO SE FEZ NOVO e as COISAS VELHAS SE PASSARAM.

João diz que ele é o último a praticar o batismo com água, pois Cristo viria para passar o procedimento da água para o Espírito, João batizava com água para o arrependimento, hoje, o Espírito Santo não faz a mesma função?

“Mas eu afirmo que é para o bem de vocês que eu vou. Se eu não for, o Conselheiro não virá para vocês; mas, se eu for, eu o enviarei. Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo. Do pecado, porque os homens não creem em mim; da justiça, porque vou para o Pai, e vocês não me verão mais; e do juízo, porque o príncipe deste mundo já está condenado.” João 16:7-11 e em Mateus 3:12: “Em sua mão tem a pá, e limpará a sua eira, e recolherá no celeiro o seu trigo, e queimará a palha com fogo que nunca se apagará.”

Perceba duas coisas aqui, convencer o homem da justiça e do juízo e mergulhar (recolher) o homem em seu celeiro, ou seja, a função do batismo agora, não é mais da água ou do uso dela e sim o batismo é função do Espírito Santo, tanto que em atos 19 quando Paulo batiza um grupo de pessoas veja o que ele faz:

“E sucedeu que, enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo, tendo passado por todas as regiões superiores, chegou a Éfeso; e achando ali alguns discípulos, Disse-lhes: Recebestes vós já o Espírito Santo quando crestes? E eles disseram-lhe: Nós nem ainda ouvimos que haja Espírito Santo. Perguntou-lhes, então: Em que sois batizados então? E eles disseram: No batismo de João, mas Paulo disse: Certamente João batizou com o batismo de arrependimento, dizendo ao povo que cresse no que após ele havia de vir, isto é, em Jesus Cristo. E os que ouviram foram batizados em nome do Senhor Jesus. E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e falavam línguas, e profetizavam.” Atos 19:1-6

Perceba o seguinte, Paulo já retifica o que João dizia que, JOÃO BATIZARIA COM ÁGUA, mas que CRISTO BATIZARIA COM O ESPÍRITO. Mostrando claramente que NÃO ERA MAIS PARA BATIZAR COM ÁGUA e sim com O ESPÍRITO SANTO. E não havia nesse momento nada de novo, até porque quando em atos 2 o grupo que estava reunido foi batizado, foram batizados com o que? A resposta você já sabe.

Todas as vezes que a Bíblia dá a indicação de realização do batismo não é com água, e sim com o Espírito Santo. Em Marcos 16:16, quando Jesus diz que os que crerem e forem batizados serão salvos, são batizados com água ou com o Espírito? Vamos supor que alguém se converta e não dê tempo de se batizar na água, essa pessoa vai perder a salvação? Ou a salvação não será eficaz nessa pessoa por não ter dado tempo de ser batizada na água? Ou é mais simples Jesus executar o batismo com o Seu Espírito, e assim tornar eficaz a graça salvífica incluindo o eleito na sua obra por meio de um batismo espiritual? Como citado mais a cima “colocando-o no celeiro”.

Felipe e o batismo do carcereiro.

A Bíblia diz em Efésios 4:5 – “Um só Senhor, uma só fé, um só batismo.”. Pergunta básica, se é um só batismo, e digo, um único tipo de batismo, porque a coexistência equivalente de dois procedimentos? Um com água e outro com o Espírito? Então a Bíblia se auto refuta? Ela não inerrante? A meu ver, a escritura é inerrante e não me dá brechas para crer que ela não cumpra essa inerrância, dizendo-me exatamente o que citei a cima, antes era com a água, agora é com o Espírito.

Em Atos 16 é contada a história de Paulo, que depois de ser preso, canta na prisão e a prisão desaba e logo depois o carcereiro se converte e Paulo o batiza, especialmente no versículo 33 narra o fato: “E, tomando-os ele consigo naquela mesma hora da noite, lavou-lhes as feridas; e logo foi batizado, ele e todos os seus. (família)”. Atos 16:33. Perceba a água aqui foi para o batismo, ou para as feridas? Se Paulo em Atos 19 batiza um grupo de pessoas com o Espírito, aqui ele batizaria com água? O texto mostra que não.

Em atos 8:38, Felipe batiza um Eunuco que se converte, ele para no meio da estrada, entra na água junto ao eunuco e batiza-o com água, é a única oportunidade em que alguém é batizado com a água depois de João, mas perceba, os Apóstolos praticavam coisas erradas? Sim, sem dúvida alguma. Paulo, no início de carreira praticava a circuncisão de adultos, isso era correto? Lógico que não! Tanto que Pedro o repreende por querer executar práticas JUDAICAS entre os Cristãos, aí eu faço uma nova pergunta, se Paulo foi repreendido por judaizar, e por isso não fazemos circuncisões em adultos nem em crianças, porque devemos seguir um erro de percurso de Felipe? Simples, não devemos.

Se Paulo executando uma prática judaica é errado, não tem porque julgarmos como certo uma prática judaica de Felipe, não podemos fazer de casos semelhantes o “Dois pesos e duas medidas”, é o mesmo peso e a mesma medida, ver como um erro e não executar. “Quando vi que não estavam andando de acordo com a verdade do evangelho, declarei a Pedro, diante de todos: “Você é judeu, mas vive como gentio e não como judeu. Portanto, como pode obrigar os gentios a viverem como judeus?” Galatas 2:14.

Autor: Paulo Ricardo Lima – Pregador, Palestrante DESMOTIVACIONAL, Teólogo de Boteco.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To use BrandCaptcha you must get an API Key