Tudo que você aprendeu sobre o batismo é mentira! | Parte 2

Parte 1: http://botecoteologico.com.br/2017/08/15/tudo-que-voce-aprendeu-sobre-batismo-e-mentira/

Entre os cristãos, se você toca em qualquer dogma da religião é lógico que você vai sofrer ataques, foi assim no meu texto com Lúcifer, foi assim no texto sobre a inexistência do anticristo e por aí vai, e vou responder alguns questionamentos pertinentes ao batismo que me foram feitos.

Primeiro que, o simbolismo do batismo com água, não é pecado, fazer o ato não é errado e nem é antibíblico, mas a intenção do texto era dizer: Não é mais necessário. De fato, usar água para batizar as pessoas não é necessário, ou vão dizer que Paulo estava errado quando não usou água para batizar os homens que pregaram na Grécia em atos 19 ou com o carcereiro em atos 16?

As pessoas tem que começar a pensar fora da caixinha religiosa, fora do matrix da religião. A título de exemplo, o dízimo foi introduzido na igreja a partir do século VI. Antes disso o império romano vivia de pilhagens -cobrança de impostos por meio de violência ou forte repressão- e usaram o dízimo como um meio mais fácil, mais ágil e mais prático de arrecadar dinheiro. Não era mais necessário mandar soldados “dominar um povo” para extorqui-los, bastava que se usasse a técnica mais fácil de conquistar um povo: Mudar a religião deles.

Mudar a religião foi a arma mais usada pelos católicos na idade média para conquistar um povo, por exemplo, quando os portugueses chegaram aqui no Brasil, eles mandaram logo jesuítas para mudar a religião dos índios e tentar conquistá-los, é bem simples, os muçulmanos fizeram isso com o Oriente médio, tanto que hoje é supremacia lá é do Islamismo, todo oriente médio, boa parte da África e alguns países da Ásia como a indonésia e Afeganistão são islâmicos.

Hoje, o que a igreja protestante fez com o dízimo? Importou o dogma católico para a religião e têm muito mais dogmas importados, como o construir templos, por exemplo.  Constantino, no século III, mudou as basílicas de julgamentos para serem templos do cristianismo católico, salvo o engano, a primeira Basílica foi a de São Giovanni. As Basílicas eram “Foros” onde eram feitos julgamentos e onde se realizavam cultos pagãos em Roma, como Roma tornou-se “cristã” as basílicas se tornaram locais de cultos, Juízes viraram Bispos, a côrte virou o Clero e a ordem clerical. Basicamente o protestantismo importou até o modelo de templo, havia um local para o público, um local para os músicos e um local para os júri do Foro, que era um tablado mais alto para que quem estivesse falando tivesse destaque.

E o que o protestantismo fez? Importou os templos, o modelo do templo e a única coisa que foi alterada foram os nomes, as denominações, as funções eclesiásticas, maneiras de ensino, porém o “grosso” da coisa, continuou o mesmo, inclusive o modelo de culto e dogmas como a aspersão e o dízimo por exemplo.

Resultado de imagem para igreja evangelica   Resultado de imagem para igreja catolica

Então da mesma forma se encara o Batismo, basicamente, a reforma protestante reformou doutrinas, reformou dogmas, fez algumas condenações a algumas práticas católicas, entretanto muita coisa foi importada do catolicismo, por exemplo, os Presbiterianos fazem o batismo por aspersão -que é jogar água na cabeça da pessoa- fazem o pedobatismo -que é jogar água na cabeça das crianças- e quem realiza isso? CATÓLICOS.

Imagem relacionada Resultado de imagem para batismo católico

As pessoas tem que parar de achar que os reformadores foram seres inerrantes, parar de achar também que todas as atitudes apostólicas são inerrantes, é fato, os apóstolos tiveram o seu período de aprendizado até chegar ao nível de Cristianismo ideal, Paulo falou a Timóteo no capítulo 2 da sua segunda carta a ele, para que perseverasse, estudasse, analisasse para que ele fosse visto como “Obreiro aprovado”.

Questionaram-me se havia um “grande teólogo” para que eu fundamentasse a minha tese, usando-o como referência, e a resposta é: NÃO. Tenho a plena capacidade de, por mim mesmo, baseado em meus estudos, e baseado na Bíblia, de concluir aquilo que eu quiser, soa egoísta? Soa, porém sigo na mente com uma frase de Francis Schaeffer: “Um simples cristão com a Bíblia na mão pode dizer que a maioria está errada”. E quanto à maioria dos dogmas da religião, boa parte está errada.

Eu poderia discorrer intensamente sobre tudo que está errado no credo da religião, como pentecostalismo, dízimo, e etc. Mas esses questionamentos sobre A PALAVRA e as DOUTRINAS APLICADAS PELOS REFORMADORES, me soa como uma idolatria aos reformadores, Calvino foi claro ao dizer que o coração do homem é uma fábrica de ídolos. E o que eu percebi é que a maioria das pessoas, que questionaram sobre o texto do batismo é que: Eles criaram novos santos e ídolos na religião.

Ao que parece a palavra de Calvino, Lutero e etc. é algo inerrante e irrefutável, e não, NÃO SÃO! Eles não podem ser encarados como “santos” para o Cristianismo. Eu sou calvinista, sou reformado, mas eu entendo que nem tudo que eles fizeram e nem tudo que eles falaram deve ser encarado como algo inerrante e irrefutável.

Usaram também as tais “Confissões de Fé” que nada mais são que uma versão protestante dos concílios católicos. Meu amigo, as confissões de fé são peças muito importantes, valem à leitura, eu as encaro como fundamentos da religião e etc. Ok. Porém, hoje, as confissões de fé servem como, nada mais, que regras para as igrejas do âmbito protestante. São as regras das igrejas baseadas no entendimento deles sobre a Bíblia, e isso até os mórmons, testemunhas de Jeová ou qualquer outra vertente do cristianismo faz! Pegar a bíblia e ler ela segundo a própria vontade, para mim, não pode ser usado como “peça de refutação”, soa como se só quem segue as confissões é quem vai estar salvo. Vamos evoluir, né pessoas?

“Você tem que estudar mais” – Meu amigo, você acha mesmo que se eu não tivesse estudo de eclesiologia, teologia sistemática, teologia geral, história da religião, leitura da bíblia completa, leitura de autores renomados e etc. Eu fundamentaria uma tese como essa? Só a título de exemplo, de 2013 pra cá eu li 90 livros e a Bíblia mais duas vezes, e não pude ler mais porque eu tive que trabalhar, fora Faculdade e etc. Melhorem.

Então o batismo é com água? Não! Serve pra simbolismo? Serve, mas dizer que só seremos salvos se formos batizados COM ÁGUA não tem lógica. Quando Cristo diz que quem crer e for batizado será salvo, ele impõe duas regras básicas: Ter fé e ser incluso em sua obra por meio do arrependimento. Certo? Certo, a salvação é pela graça, através da Fé que é dom de DEUS e não vem das nossas atitudes. O HOMEM NÃO CONSEGUE SE ARREPENDER DE SEUS PRÓPRIOS PECADOS SOZINHO, porque é inútil, cego e surdo e estando morto em seus próprios delitos e pecados, sendo extremamente depravado, já nascendo mal por natureza, depende de quê para que venha a sua consciência a justiça e o juízo? Do Espírito Santo, é Ele quem convence o homem do pecado.

Então, Jesus dá a fé, e batiza com o quê? COM O ESPÍRITO SANTO, pois é uma só fé e um só batismo! Logo, se é um batismo, é com água? É a água que faz você se arrepender? É através da água que você é incluso na obra de Cristo? NÃO! É PELO ESPÍRITO SANTO!

Disseram-me também: Mas Jesus se referiu a si mesmo como água, por isso usamos o simbolismo. Ok, Jesus foi claro ao dizer que ELE ERA A ÁGUA DA VIDA, e se ELE É A ÁGUA DA VIDA NÃO TEMOS QUE NOS ENFIAR DENTRO D’ÁGUA E SIM DENTRO DELE! E COMO SE FAZ ISSO? ATRAVÉS DO ESPÍRITO SANTO! Ser batizado no Espírito é ser separado, recolhido no celeiro, é ser “imerso” e “incluso” na obra de Cristo. Pergunta, se Cristo é água, se Ele é Deus e nos dá a fé, se Ele é o Espírito Santo, e nos convence da justiça e do juízo, se somos salvos mediante a graça, vos pergunto: Para quê a água?

Ai me questionaram João 3:5 Onde JESUS numa conversa com Nicodemos diz: Quem não nascer da água e do espirito, NÃO PODE ENTRAR no reino de Deus. Mencionaram isso mas esqueceram de mostrar o contexto, Jesus segue dizendo sobre a diferença entre nascer da carne e do espírito, e no versículo 22 Jesus vai ver advinha quem? JOÃO! Porque João estava autorizado AINDA a batizar com água! Ele era o último que faria isso, e como véu ainda não havia se rasgado, Jesus ainda não tinha morrido, era mais do que LÓGICO levar Nicodemos para se batizar na água! Será que é difícil raciocinar isso? O texto não dá a nós uma doutrina e sim, Jesus falando com Nicodemos que NAQUELE MOMENTO era necessário se batizar com água e isso não é malabarismo é apenas LER O TEXTO!

(Leia a parte um) http://botecoteologico.com.br/2017/08/15/tudo-que-voce-aprendeu-sobre-batismo-e-mentira/

Deixando claro que a reforma foi importantíssima, se não fosse pela reforma estaríamos até hoje rezando missas em latim, porém, idolatrar os heróis da reforma e colocar as confissões da igreja como regra de fé para todos é diminuir a importância da bíblia e da teologia livre de congregação, visão x ou y.

Autor: Paulo Ricardo Lima – Pregador, Palestrante DESMOTIVACIONAL, teólogo de boteco.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To use BrandCaptcha you must get an API Key